check-up médico

Check-up médico: sua importância para a sinistralidade

17 junho, 2024

Fazer o check-up médico com a frequência adequada é importante tanto para os beneficiários que buscam melhorar a sua qualidade de vida quanto para empresas e operadoras da saúde. Afinal, manter-se saudável não é apenas uma questão de bem-estar pessoal, mas também uma questão financeira que impacta diretamente a gestão e utilização dos convênios.

Dessa forma, o check-up médico regular desempenha um papel fundamental para o equilíbrio do sistema de saúde suplementar como um todo. Pensando nisso, aqui vamos falar mais sobre isso e, também, explicar sobre como o check-up médico pode influenciar a sinistralidade dos planos de saúde. Acompanhe!

O que é o check-up médico?

O check-up médico é uma avaliação de saúde completa que envolve uma série de exames e consultas. O objetivo é identificar precocemente quaisquer condições de saúde que possam estar se desenvolvendo, permitindo uma intervenção rápida e eficaz. Além disso, esse processo abrange desde exames de sangue, pressão arterial e colesterol, até exames mais específicos como mamografia, colonoscopia e testes de função pulmonar. 

A importância do check-up médico

O check-up médico pode auxiliar em diversos fatores, como:

  • Prevenção: muitos problemas de saúde podem ser prevenidos com hábitos saudáveis e detecção precoce. Assim sendo, o check-up permite identificar fatores de risco, como hipertensão, diabetes e níveis elevados de colesterol, antes que evoluam para doenças graves.
  • Detecção precoce: doenças como câncer, doenças cardíacas e problemas renais podem ser tratadas com muito mais eficácia quando detectadas precocemente. Afinal, o diagnóstico precoce aumenta significativamente as chances de sucesso no tratamento e reduz a necessidade de procedimentos invasivos. E esse diagnóstico precoce pode ser feito, é claro, com a realização de um check-up médico de rotina.

Além dessas duas questões extremamente importantes citadas acima, o check-up regular pode incentivar os beneficiários a adotarem um estilo de vida mais saudável. Isso porque, ao receber orientação médica personalizada, as pessoas são mais propensas a tomarem melhores decisões no seu dia a dia, sabendo o que é melhor para a sua saúde como um todo.  

– Confira: A importância da prevenção para reduzir as internações

Sinistralidade nos planos de saúde

Agora que você já sabe o que é o check-up médico e sua importância, é hora de falar sobre como ele impacta a sinistralidade dos planos de saúde. Porém, primeiramente é importante saber o que significa esse termo, certo?

Assim sendo, sinistralidade é um termo utilizado pelas seguradoras para descrever a relação entre os sinistros pagos (despesas médicas) e os prêmios arrecadados (receitas de mensalidades). Então, pode-se dizer que a sinistralidade é um indicador chave da sustentabilidade de um plano de saúde.

Isso acontece porque, quando a sinistralidade está alta, isso significa que as despesas com tratamentos médicos estão elevadas em relação às receitas, o que pode levar ao aumento das mensalidades ou até à inviabilidade do plano.

– Para saber mais sobre o assunto, acesse: Relatório de sinistralidade: o que é e sua importância

Como o check-up médico reduz a sinistralidade dos planos de saúde?

O check-up médico pode ter um papel de protagonismo para diminuir a sinistralidade dos planos de saúde. E isso é conquistado por meio de diversas questões, como:

Intervenção precoce

Ao identificar problemas de saúde em estágios iniciais, os tratamentos tendem a ser menos complexos e menos caros. Por exemplo, tratar uma hipertensão leve com medicação e mudança de estilo de vida é muito mais barato do que tratar um derrame causado por pressão alta não controlada.

Tratamentos menos invasivos 

Doenças detectadas precocemente geralmente requerem tratamentos menos invasivos. Isso não só é mais econômico, mas também resulta em menor tempo de recuperação para o paciente, menos complicações e menor uso de recursos hospitalares.

Acompanhamento contínuo e personalizado

Pacientes que fazem check-ups regulares são acompanhados de perto, permitindo ajustes contínuos em tratamentos e prevenções. Dessa forma, esse acompanhamento reduz a necessidade de internações e tratamentos emergenciais, que são significativamente mais caros.

Planos de cuidado personalizado 

O check-up possibilita a criação de planos de cuidado personalizados que atendem às necessidades específicas de cada paciente. Assim sendo, são evitados gastos desnecessários com exames e tratamentos genéricos que podem não ser eficazes para todos.

– Complemente a leitura com: Como as ações preventivas e programas de saúde impactam na sinistralidade dos planos de saúde

Benefícios do check-up médico

Pode-se dizer que o check-up médico é algo que traz apenas benefícios aos envolvidos, sejam eles os próprios beneficiários, as operadoras de saúde ou até mesmo as empresas que oferecem planos de saúde como benefício aos seus colaboradores. Veja como isso se dá:

Para pacientes

  • Melhora na qualidade de vida: pacientes que participam de check-ups regulares tendem a ter uma qualidade de vida melhor. Afinal, eles estão mais cientes de sua saúde e podem tomar medidas preventivas para evitar doenças.
  • Maior expectativa de vida: A detecção precoce e a gestão de doenças crônicas aumentam a expectativa de vida. Então, pacientes podem viver mais e com maior qualidade ao evitar complicações de saúde graves.

Para planos de saúde

  • Redução de sinistros: conforme já citamos acima, a prevenção e a detecção precoce resultam na redução de sinistros. Então, é possível garantir uma maior sustentabilidade e acessibilidade aos planos de saúde.
  • Fidelização dos clientes: clientes satisfeitos com os cuidados preventivos oferecidos pelo plano de saúde são mais propensos a permanecer com o mesmo plano, aumentando a fidelidade e a confiança na marca.

Benefícios para empresas

  • Redução de absenteísmo: colaboradores saudáveis faltam menos ao trabalho, aumentando a produtividade e o engajamento profissional.
  • Melhora no clima organizacional: a preocupação com a saúde dos colaboradores melhora a moral e cria um ambiente de trabalho mais positivo e colaborativo. Assim sendo, é possível até mesmo melhorar a cultura da empresa como um todo, tornando-a mais positiva.

Check-up médico: quais exames fazer? 

É comum que surjam dúvidas sobre quais exames devem ser feitos para garantir um check-up médico eficiente. Aqui, separamos em alguns grupos para que você possa visualizar melhor as orientações: 

Exames para todas as idades

Exame físico completo

Avaliação geral do estado de saúde, incluindo medição de peso, altura, índice de massa corporal (IMC) e pressão arterial. Esse exame pode ajudar a identificar sinais de problemas como hipertensão, obesidade e outras condições que podem não apresentar sintomas evidentes.

Exames de Sangue:

  • Hemograma completo: avalia os níveis de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas. Ajuda a detectar possíveis anemias, infecções e doenças hematológicas.
  • Glicemia em jejum: mede o nível de glicose no sangue após um período de jejum. Assim sendo, é importante para detectar diabetes ou pré-diabetes.
  • Perfil lipídico: mede os níveis de colesterol total, LDL (colesterol “ruim”), HDL (colesterol “bom”) e triglicerídeos. Dessa forma, é essencial para avaliar o risco de doenças cardiovasculares.
  • Função renal (creatinina e ureia): avalia a saúde dos rins e a capacidade de filtragem do sangue.
  • Função hepática: inclui testes como TGO, TGP e bilirrubinas para avaliar o funcionamento do fígado.

Eletrocardiograma (ECG)

É o exame que registra a atividade elétrica do coração e, assim, ajuda a detectar arritmias, doenças cardíacas e monitorar a saúde cardíaca geral.

Exames por faixa etária e gênero

Crianças e adolescente

  • Exame físico de rotina: inclui avaliações de crescimento e desenvolvimento, vacinação e triagem para condições comuns na infância e adolescência.
  • Exame de vista e audição: importantes para detectar problemas que podem afetar o desempenho escolar e o desenvolvimento social.

Adultos Jovens (20-40 anos):

  • Papanicolau (mulheres): deve ser realizado a cada três anos para detectar alterações celulares no colo do útero que podem indicar câncer cervical.
  • Exames de ISTs: testes para HIV, sífilis, clamídia, gonorreia e outras infecções sexualmente transmissíveis, especialmente para indivíduos sexualmente ativos.

Meia-Idade (40-60 anos)

  • Mamografia (mulheres): recomendada anualmente ou bianualmente para mulheres a partir dos 40 anos para detectar precocemente o câncer de mama.
  • Colonoscopia: indicada a partir dos 50 anos, ou antes se houver histórico familiar de câncer colorretal, para detectar pólipos ou câncer no intestino grosso.
  • Exame da próstata (homens): inclui o exame de PSA (antígeno prostático específico) e toque retal para detectar precocemente o câncer de próstata.

Idosos (60 anos ou mais)

  • Densitometria óssea: avalia a densidade mineral óssea para detectar osteoporose.
  • Exame de função cognitiva: importante para detectar precocemente sinais de demência ou outras condições neurológicas.

Exames adicionais baseados em fatores de risco

Histórico familiar

Pessoas com histórico familiar de doenças como diabetes, câncer ou doenças cardíacas podem precisar de exames mais frequentes ou adicionais.

Estilo de vida

Exames como espirometria (para avaliar a função pulmonar) e tomografia computadorizada de baixa dose (para rastreamento de câncer de pulmão) são recomendados para fumantes. Além disso, para pessoas sedentárias e com obesidade, pode ser importante o monitoramento mais frequente de glicemia, colesterol e pressão arterial.

Condições crônicas

Para doenças crônicas, como é o caso da hipertensão e da diabetes, por exemplo, é essencial que exista um monitoramento regular da pressão arterial, glicemia e função renal.

A frequência dos check-ups médicos

A frequência dos check-ups médicos pode variar de acordo com a idade, histórico de saúde e recomendações do médico. Em geral:

  • Crianças: consultas regulares conforme o calendário de vacinação e desenvolvimento.
  • Adultos jovens: a cada 2-3 anos se não houver fatores de risco.
  • Meia-idade: anualmente ou conforme orientação médica.
  • Idosos: anualmente, com maior foco em condições específicas da idade.

Como estimular os beneficiários a fazerem o check-up médico?

Pois bem, se você chegou até aqui, agora você sabe da importância do check-up médico. Mas afinal, como estimular as pessoas a colocarem em prática esse cuidado com a saúde? Existem algumas ações que você pode fazer, como: 

Educação e sensibilização

Uma das primeiras etapas é educar os beneficiários sobre a importância dos check-ups médicos. A conscientização pode ser feita através de:

  • Palestras e workshops: trazer profissionais de saúde para falar sobre os benefícios dos check-ups e responder dúvidas.
  • Campanhas de comunicação: utilizar e-mails, murais informativos e intranet para disseminar informações sobre a importância dos exames periódicos.
  • Testemunhos: compartilhar histórias de pessoas que identificaram problemas de saúde precocemente graças aos check-ups pode inspirar outros a fazerem o mesmo.

Facilitação de acesso

Facilitar o acesso aos check-ups médicos é crucial para aumentar a adesão dos colaboradores. Algumas formas de fazer isso incluem:

  • Parcerias com clínicas e laboratórios: estabelecer acordos com clínicas e laboratórios para oferecer check-ups a preços reduzidos ou gratuitos.
  • Check-ups no local de trabalho: organizar dias de saúde em que médicos e enfermeiros realizem exames básicos no próprio ambiente de trabalho.
  • Telemedicina: oferecer consultas virtuais que permitam a triagem inicial e encaminhamentos necessários.

Benefícios e Incentivos

Incentivar os colaboradores por meio de benefícios pode ser uma estratégia eficaz:

  • Planos de saúde corporativos: oferecer planos de saúde que cubram check-ups anuais completos.
  • Bonificações: conceder bônus ou prêmios para colaboradores que completarem seus check-ups anuais.
  • Dias de folga adicionais: dar um dia de folga extra para quem realiza o check-up médico, permitindo que o colaborador cuide de sua saúde sem perder um dia de trabalho.

Comunicação Eficiente

Uma comunicação clara e eficiente pode fazer a diferença. Assim sendo, é possível colocar em prática ações como:

  • Lembretes regulares: enviar lembretes regulares via SMS, e-mail ou aplicativos móveis sobre a proximidade da data para realizar o check-up.
  • Contato telefônico: realizar chamadas telefônicas personalizadas para lembrar os beneficiários da importância dos check-ups e ajudar a agendar consultas.

Políticas de saúde corporativa

Implementar políticas que incentivem a saúde pode criar uma cultura de bem-estar nas empresas. E isso pode ser feito por meio de:

  • Programas de bem-estar: desenvolver programas que incluam não apenas check-ups, mas também atividades físicas, alimentação saudável e suporte psicológico.
  • Monitoramento e relatórios: manter um sistema de monitoramento (respeitando a privacidade) que permita acompanhar a adesão dos colaboradores aos check-ups e fornecer relatórios periódicos.

Por fim, podemos reforçar o quanto o check-up médico é uma ferramenta poderosa na promoção da saúde e na gestão de custos dos planos de saúde.

Ao prevenir doenças e detectar condições de saúde precocemente, o check-up reduz a necessidade de tratamentos complexos e caros, diminuindo a sinistralidade e promovendo a sustentabilidade dos planos de saúde.

Para os pacientes, o benefício é claro: uma vida mais saudável e longa. Porém, é possível ir além, já que para os planos de saúde essa ação é nada mais, nada menos do que um investimento estratégico que melhora a satisfação do cliente e a viabilidade financeira. Portanto, encorajar e facilitar a realização de check-ups médicos é uma prática que beneficia a todos.

E então, gostou de saber mais sobre o check-up médico? Para ficar sempre informado sobre as principais informações relacionadas ao setor de saúde no Brasil, continue acompanhando o nosso blog!

Leia também


Deixe seu comentário